A RBPI e o pensamento brasileiro de Relações Internacionais: entrevista com Paulo Roberto de Almeida, por Antônio Carlos Lessa

A Revista Brasileira de Política Internacional, criada em 1958, é um empreendimento intelectual construído por muitos. Fruto do ambiente político dos anos 1950, marcado pela efervescência do debate sobre a modernização das estruturas políticas, econômicas e sociais do Brasil, a Revista é uma tradução das inquietações da geração de intelectuais que se entregaram a pensar as grandes questões do desenvolvimento do país e de como elas eram intensificadas pelos constrangimentos da política e da economia internacionais.

A RBPI descreveu, ao longo dos seus sessenta anos de história, uma trajetória intensamente marcada pelo debate sobre as questões relevantes para a reflexão sobre a inserção internacional do Brasil e, ao seu modo, dos países como o Brasil.  Nesse percurso, a Revista assumiu a identidade de um veículo científico, deixando de ser apenas um foro de debate político credenciado. Uma análise mais detida sobre a produção da RBPI permite constatar certas constâncias, ou seja, a recorrência das mesmas questões ao longo desse itinerário, mas também muitas transformações, como parece inevitável, tanto no plano propriamente doméstico, quanto no da política internacional e da economia mundial. O Brasil e a região não parecem ter mudado significativamente de posição no contexto dos cenários geopolíticos que se sucederam desde 1954: Guerra Fria, distensão global, crises e derrocada do comunismo, emergência de novos equilíbrios nos planos regional e mundial, etc. A despeito dessas grandes alterações da ordem mundial, o Brasil e a América Latina talvez não tenham um peso maior, atualmente, do que aquele que tinham no início do período.

Os editores da RBPI, Antônio Carlos Lessa e Paulo Roberto de Almeida, conversaram sobre o percurso de seis décadas da Revista, identificando as diferentes etapas da sua produção, em duas fases bem caracterizadas: a do Rio de Janeiro, de 1954-58 até 1992, e a de Brasília, a partir de 1993 aos nossos dias, identificando os nomes que puseram a publicação a funcionar em suas origens, como também sobre os tempos difíceis da ditadura, até o seu momento atual e a relevância científica do veículo para o pensamento brasileiro sobre Relações Internacionais. Paulo Roberto de Almeida é diplomata de carreira e atualmente atua como diretor do Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais, um órgão do Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Doutor em Ciências Sociais pela Université Libre de Bruxelles, Bélgica, é professor do Centro Universitário de Brasília ‒ UniCeub. É editor-associado da Revista Brasileira de Política Internacional desde 1993.

Confira abaixo a entrevista com Paulo Roberto de Almeida

Sobre o autor

Antônio Carlos Lessa, professor do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB), editor-chefe da Revista Brasileira de Política Internacional – RBPI, Brasília, DF, Brasil.

Este post foi originalmente publicado no Blog Scielo em Perspectiva – Humanas, em 25/04/2017.

Como citar este artigo

Mundorama. "A RBPI e o pensamento brasileiro de Relações Internacionais: entrevista com Paulo Roberto de Almeida, por Antônio Carlos Lessa". Mundorama - Revista de Divulgação Científica em Relações Internacionais,. [Acessado em 18/11/2017]. Disponível em: <http://www.mundorama.net/?p=23555>.
Print Friendly, PDF & Email

Seja o primeiro a comentar

Top