Especial FUNAG – Novos lançamentos

A Fundação Alexandre de Gusmão publicou uma série de novos livros para a comunidade interessada em Relações Internacionais e temas conexos. Todos os estudos estão disponíveis para download gratuito no site da FUNAG e também podem ser adquiridos na loja virtual ou no estande promocional da Fundação, situado no Anexo II do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília.

Na edição ampliada do livro “Pedro Teixeira, a Amazônia e o Tratado de Madri“, organizada por Sergio Eduardo Moreira Lima e Maria do Carmo Strozzi Coutinho, foram incorporadas as transcrições paleográficas dos documentos levantados durante as pesquisas conduzidas no processo de elaboração da obra, sobretudo no Arquivo Histórico Ultramarino, na Biblioteca da Ajuda, em Lisboa, bem como na Biblioteca Pública Municipal do Porto. Para avaliar a dimensão do acréscimo, a primeira edição continha 309 páginas, enquanto a nova edição possui 508 páginas. Trata-se de valiosa fonte de informação para estudiosos da História, da Geografia, da Cartografia, das Relações Internacionais do Brasil e, também, da gênese do Direito Internacional moderno aplicado à formação territorial brasileira. Além disso, a FUNAG reeditou “Memorial Orgânico (uma proposta para o Brasil em meados do século XIX)”, de Francisco Adolfo de Varnhagen, com ensaios introdutórios de Arno Wehling. A obra constitui uma reflexão sobre os desafios que o Império enfrentava e impressiona por sua atualidade. Trata-se da expressão mais eloquente do pensamento geopolítico e estratégico do autor.

Brasil e China: 40 anos de relações diplomáticas – análises e documentos” é outra obra de referência que, contando com a apresentação do Ministro José Serra, é composta por cinco ensaios sobre as perspectivas das relações sino-brasileiras, histórico das relações bilaterais, análise das relações econômicas e perspectivas futuras, novos desafios da cooperação em ciência e tecnologia, e a estratégia de inserção internacional do Brasil. O livro contém ainda documentos de referência para o conhecimento das relações diplomáticas entre os dois países.

O Brasil e as Restrições às Exportações”, da diplomata Andréa Saldanha da Gama Watson, integra a coleção “Curso de Altos Estudos”. A obra analisa as restrições às exportações e suas implicações para o comércio mundial, em geral, e o Brasil, em particular.  A autora ressalta que o recurso às restrições às exportações tem sido utilizado com frequência cada vez maior, sobretudo por países em desenvolvimento, o que desperta a atenção dos analistas e estudiosos do Sistema Multilateral do Comércio e não deixa de causar certa preocupação, dadas as consequências para o comércio mundial.

Outra obra recentemente publicada da coleção “Curso de Altos Estudos” foi “Entre o Beagle e as Malvinas – Conflito e Diplomacia na América do Sul“, do Embaixador Eduardo dos Santos. O livro traz um estudo sobre duas controvérsias territoriais na América do Sul – uma resolvida, e outra pendente – e seus reflexos na política externa do Brasil. Ambas envolvem disputas mantidas pela Argentina, no primeiro caso, com o Chile, na região do canal do Beagle e, no segundo, no conflito com a Grã-Bretanha em torno das ilhas Malvinas. O prefácio da obra é do Embaixador Rubens Ricupero.

A Segurança do Atlântico Sul e as Relações com a África“, do Embaixador José Viegas Filho também é parte integrante da coleção “Curso de Altos Estudos”. A tese apresentada, escrita em 1982, é uma obra de reconhecido mérito e referência para pesquisas sobre tema de permanente interesse para as relações internacionais e a política externa brasileira. O trabalho não apenas apresenta análise acurada da questão da segurança marítima nas fronteiras do Brasil, na ótica brasileira à época da Guerra Fria, como é também complementado por proposta de criação de um Tratado de Cooperação do Atlântico Sul.

Ademais, a Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG) lançou a nova edição dos Cadernos do CHDD (nº 28), que apresenta dois conjuntos de documentos. O primeiro continua a publicação dos ofícios de Miguel Maria Lisboa, chefe da Legação Imperial em Washington entre 1859 e 1865. No número anterior foram reproduzidos os ofícios dos anos 1859-1860; agora, são divulgados os dois anos seguintes. Uma das razões para ler os ofícios de Lisboa é a qualidade da informação do diplomata brasileiro sobre um momento decisivo na história dos Estados Unidos. A informação se valoriza pelo impecável estilo diplomático dos ofícios. A escrita é clara, precisa e sem preciosismo. A parte final com os ofícios de 1863-1865 será publicada no próximo número dos Cadernos do CHDD. O segundo conjunto apresenta um episódio pouco conhecido das relações entre o Brasil e a África no século XIX: a missão especial de Hermenegildo Niterói à Libéria, entre 1850-1853.

Print Friendly, PDF & Email

Seja o primeiro a comentar

Top