Evento – Lançamento do livro "O Brasil e a Segurança no seu Entorno Estratégico: América do Sul e Atlântico Sul" – IPEA

Publicado recentemente pelo Ipea, o livro O Brasil e a Segurança no seu Entorno Estratégico: América do Sul e Atlântico Sul reúne trabalhos de acadêmicos e militares, brasileiros e estrangeiros, no intuito de analisar algumas das principais dinâmicas presentes no entorno estratégico do país. A partir da perspectiva de que a estabilidade e o desenvolvimento do Brasil estão ligados a processos securitários ocorridos nos demais países da América do Sul e no Atlântico Sul, examinam-se no livro os desafios presentes nas áreas da defesa e segurança nestes dois espaços.

Na primeira parte – O Brasil e a Segurança Sul-Americana –, o a publicação analisa algumas das dinâmicas securitárias da América do Sul, destacando-se, inicialmente, que os conflitos interestatais passíveis de serem solucionados por meios violentos são praticamente inexistentes.

A existência de um padrão de relações regionais com tais características, entretanto, não implica, de acordo com o livro, na ausência de políticas específicas para o tema. A garantia da estabilidade política no continente requer a adoção de medidas preventivas, sobretudo o fortalecimento de espaços regionais e bilaterais que permitam o diálogo, a resolução de disputas e a maior cooperação entre as nações sul-americanas.

Ao mesmo tempo, outras fontes de ameaças, como o crime organizado, se intensificaram e ultrapassaram as fronteiras nacionais ao longo das últimas décadas, contribuindo para uma configuração regional em que a baixa propensão aos conflitos interestatais é acompanhada de altos índices de criminalidade. Neste caso, por se tratar de um problema transnacional, as soluções devem passar, obrigatoriamente, por políticas capazes de impactar tal problema em uma escala regional.

Na segunda parte – O Brasil e a Segurança no Atlântico Sul –, a obra destaca a importância do Atlântico Sul como elemento central para a estabilidade e o desenvolvimento do Brasil. É pelo mar que trafega a maior parte do comércio exterior brasileiro e de onde provém a maior parte das fontes de hidrocarbonetos do país. O fato de disputas extrarregionais não se manifestarem de forma acentuada neste espaço é uma vantagem coletiva a ser preservada, afirma o documento.

No entanto, os países lindeiros necessitam de meios materiais, humanos e institucionais adequados para garantir, de forma efetiva, que tal configuração se mantenha ao longo do tempo. A publicação defende que é necessário ainda reconhecer a tendência de progressiva extensão da soberania dos Estados sobre o mar, buscando-se, ao mesmo tempo, influenciar tal processo e adaptar políticas nacionais e regionais de forma que os países lindeiros melhor se insiram neste contexto.

O livro é fruto do projeto O Papel da Defesa na Inserção Internacional Brasileira, coordenado pelo Ipea, tendo por objetivo contribuir com o debate sobre as políticas públicas na área da defesa nacional.

Acesse o livro ‘O Brasil e a Segurança no seu Entorno Estratégico: América do Sul e Atlântico Sul’