Evento – Chamada de Artigos – Edição Especial da Revista Estudos Internacionais – PUC-Minas

As nações da América do Sul, apesar das suas diferenças, sempre se destacaram por compartilharem algumas características, como altos índices de pobreza, desigualdade e violência, subdesenvolvimento econômico com forte dependência da exportação de commodities e de suas relações com os principais centros de poder econômico e político mundial, notadamente os EUA, e por serem democracias consideradas frágeis e deficitárias. Nos últimos anos, entretanto, o continente passou por uma série de mudanças significativas que, embora tenha afetado aos distintos países de maneira desigual, também apresentou algumas tendências comuns como: a rotinização dos processos democráticos, incluindo importantes refundações institucionais cujo objetivo declarado era aprofundar a democracia; a proliferação de mecanismos de integração regional; a redução geral da pobreza, apesar da continuidade do subdesenvolvimento econômico, da desigualdade social e da manutenção da dependência da exportação de commodities; e, finalmente, uma maior autonomização frente aos EUA e à Europa, com a diversificação dos contatos com outros atores como China, Rússia, Índia e Irã.

A edição especial de Estudos Internacionais “A América do Sul e a construção de novas bases para o século XXI: velhos e novos desafios de uma região em mutação” será editada por Maria Regina Soares de Lima, professora do IESP-UERJ, Clayton Mendonça Cunha Filho e Fidel Pérez Flores, da equipe do Observatório Político Sulamericano (OPSA). O objetivo deste dossiê é reunir análises de estudiosos sobre essas transformações recentes e os desafios representados pelos problemas políticos e econômicos persistentes em distintos níveis, considerando tanto aqueles que afetam a região como um todo quanto aqueles que dizem respeito a um conjunto menor de países ou sub-regiões específicas. 

Estudos Internacionais receberá artigos inéditos que abordem questões concernentes às relações entre os países da região e/ou destes com outras regiões e países, assim como aquelas temáticas que abordem processos de integração regional, segurança, política externa, instituições e processos políticos internos em perspectiva comparada. Algumas das questões sugeridas são as seguintes:

●      Qual o impacto das revelações de espionagem dos EUA nas relações deste país com a região? E qual seu impacto na redefinição das políticas de defesa e segurança dos países da região?

●      Até que ponto o bom momento econômico da região se vincula às transformações estruturais mais duradouras ou se deve a questões conjunturais?

●      Qual o impacto da aproximação de países como China Rússia, Índia e Irã nas relações entre os países da região e destes com potências tradicionalmente mais presentes como EUA ou países europeus?

●      A pauta comercial predominante nos intercâmbios com a China estaria configurando uma nova relação centro – periferia?

●      Qual é a agenda específica da América do Sul em relação a outras regiões latino-americanas? Que agendas e tendências justificam a concentração de um olhar analítico ao sul do canal do Panamá?

●      Por onde caminham e que resultados têm aportado os processos de diálogo da América do Sul com Europa, África e Países Árabes?

●      Em que medida a Aliança do Pacífico interfere na construção de outros processos de integração como o Mercosul, a UNASUL ou a Alba? E até que ponto conflitam ou se complementam?

●      Que balanço pode ser feito das experiências de integração anti-hegemônica como Alba e TCP e que desafios enfrentam com a morte de Hugo Chávez?

●      Qual é o peso da inclinação ideológica dos distintos governos na integração regional?

●      Quais as disputas e tensões subjacentes à implementação dos projetos da IIRSA / Cosiplan?

●      Em que aspectos as negociações de paz em curso na Colômbia podem alterar o equilíbrio regional e as relações com outros países? É possível alguma leitura do processo de paz na Colômbia à luz dos processos de paz e desmobilização de guerrilhas em outros países, como El Salvador, Guatemala, Uruguai, etc?

●      Em que direção caminham as políticas de combate às drogas na região após a perda do consenso em torno da guerra às drogas promovida pelos Estados Unidos?

●      A construção da política externa dos países sul-americanos: processo decisório, atores relevantes, temas e objetivos.

●      Qual o papel das oposições no desenho e contestação do perfil das políticas externas dos países sul-americanos?

●      Que balanço pode ser feito das consequências regionais da chegada há mais de uma década e a permanência de governos de esquerda e centro-esquerda?

●      Que atores, conteúdos e consequências políticas podem ser apontadas como produto das recentes mobilizações de rua em países como Chile, Brasil, Peru, etc?

●      Direitos Humanos: Que condições permitem ou dificultam o sucesso das comissões da verdade e a reparação dos crimes das ditaduras militares?

●      Meio ambiente: como os países da América do Sul se posicionam em relação a esta temática e qual é o papel do Brasil na agenda internacional sobre desenvolvimento sustentável?

●      A reconfiguração institucional à luz das promessas de autonomia para os povos indígenas em países como Bolívia, Equador, Peru, Venezuela vem funcionando? Que desafios apresenta? A experiência dos Estados Plurinacionais na Bolívia e no Equador se configuram em fenômeno qualitativamente distinto?

Os artigos poderão ser escritos em português, espanhol ou inglês. As normas para publicação dos manuscritos estão disponíveis no site:

http://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/about/submissions#onlineSubmissions.

As propostas deverão ser enviadas até 15 de julho de 2014.

 

Seja o primeiro a comentar